Diferença entre Joias, Semijoias e Bijuterias

Qual A Diferença Entre Joias, Semijoias E Bijuterias?

Se você é daquelas pessoas que ama acessórios, muito provavelmente já se perguntou qual a diferença entre joias, semijoias e bijuterias. E, de fato, se você deseja fazer uma compra inteligente é preciso saber quais são as características de cada uma.

Muitas vezes é algo bem fácil de identificar, mas, em outros momentos, a depender das peças a diferença pode ser bem sutil. Comprar acessórios sem entender a diferença de cada um deles pode lhe levar a uma má compra.

É o famoso “o barato sai caro”, não é mesmo? Se você deseja fazer as suas escolhas da forma mais inteligente e econômica possível, acompanhe este artigo.

Não somente falaremos das diferenças entre joias, semijoias e bijuterias, mas várias outras dicas para você compreender pontos importantes na hora de comprar os seus acessórios.

Joias, semijoias e bijuterias: quais são as diferenças

As diferenças entre joias, semijoias e bijuterias estão em alguns pontos, como: material, durabilidade, resistência, reatividade com o meio e brilho. Cada qual tem as suas respectivas características.

Para entender melhor a distinção, fica mais pertinente falar um pouco sobre cada uma delas:

QUE TAL 5% DE DESCONTO? Cadastre-se e receba o cupom no seu e-mail!

Joias

As joias estão no topo da pirâmide, vamos dizer assim. São as mais finas, de melhor qualidade e elegantes. No mercado de acessórios não há nada que esteja acima das joias.

Elas são feitas inteiramente por metais nobres, como ouro (seja ele branco, amarelo ou rose) ou prata.

Os acompanhamentos também são de alto valor, como Esmeralda, Rubi, Topázio, Ametista, Diamantes, Turmalina e assim por diante.

São acessórios que não perdem valor com o passar do tempo, muito pelo contrário, podem valer ainda mais a depender da cotação do ouro na época.

Isso porque não possuem um “prazo de validade”. Dentre joias, semijoias e bijuterias, as joias são as únicas que duram por anos e anos.

É por isso que existem joias de famílias ou peças extremamente conservados de reis e rainhas de séculos atrás. Joias vão muito além de um acessório, são um investimento – e muitas vezes há questões sentimentais.

Em relação ao valor, isso é muito difícil de mensuras. É possível, sim, encontrar uma joia de R$ 1000,00, mas também é possível encontrar modelos que custam mais de meio milhão.

Para a maioria das pessoas, anéis, brincos, pulseiras e colares bem singelos é uma opção acessível. E não deixam de ser joias apenas pelo fato de serem mais simples no design.

Além de alta durabilidade, também possuem um brilho incrível e boa resistência.

Joia Brinco
Joia Brinco

Semijoias

Continuando a diferença entre joias, semijoias e bijuterias, agora vamos falar um pouco das semijoias. Elas são peças intermediárias entre as joias e as bijuterias.

Também são conhecidas como folheados e podem aparecer de diferentes maneiras no mercado. De modo geral, as semijoias são constituídas por uma base de metal simples, porém banhadas com metal nobre.

Ou seja, há uma camada (normalmente de ouro) sobre um metal de qualidade inferior.

Quando essa camada é bem feita, mais grossa e é de ouro 18 k, a semijoia pode até mesmo parecer uma joia à primeira vista.

Não podemos dizer que é um acessório de má qualidade, pois quando bem feito ele pode durar por anos e anos, mesmo que o uso seja recorrente.

Em relação ao valor, semijoias têm um preço bem mais acessível no mercado. Um aparador simples, por exemplo, pode custar cerca de R$100,00 (enquanto o mesmo modelo, mas como joia, custaria aproximadamente R$1000,00).

Se você deseja ter diferentes acessórios e ama mudar de peças, a opção de folheados pode ser uma ótima ideia.

Mas, lembre-se, é preciso encontrar um fornecedor que realmente ofereça qualidade. Peças muito baratas podem ter folheados de menor qualidade e você não estará fazendo uma boa compra.

Semijoia Brinco
Semijoia Brinco

Bijuterias

Dentre joias, semijoias e bijuterias, as bijuterias são as de menor qualidade, sendo a base dos acessórios.

É possível encontrar uma infinidade de possibilidades quando falamos de bijuterias e isso é um ponto positivo. São feitas de materiais sintéticos e que não possuem grande durabilidade.

Quando são de metal, as peças escurecem com apenas algumas vezes de uso e ficam com aquele cheiro de “latão”.

Porém, há algumas opções que são feitas em plástico – as quais podem até ter mais durabilidade. Nesses casos, o principal público é o infantil.

Comparando com os valores, um aparador em bijuteria pode custar apenas R$ 5,00. Barato, não é mesmo? Mas é uma peça praticamente descartável.

As pedras também são sintéticas. São plásticos translúcidos que imitam as pedras precisas das joias.

É uma opção interessante para quando você deseja comprar um acessório de uso pontual. Se pretender comprar um brinco em específico para uma festa ou carnaval, por exemplo.

Enfim, joias, semijoias e bijuterias são peças bem distintas quanto à sua qualidade e durabilidade. Entretanto, cada uma pode ter um propósito diferente.

Agora, se você está em busca de algo com maior durabilidade ou até mesmo presentear alguém, joias e semijoias são opções mais inteligentes nesse momento.

A única coisa que não pode acontecer é: pagar o preço que não vale. Uma bijuteria simples que custa R$50,00 ou R$100,00, por exemplo, não é uma boa escolha. Você estará pagando um valor por algo que não vale.

Entendeu a linha de raciocínio? Tudo gira em torno do que chamamos de custo x benefício. Avalie se o preço realmente condiz com o produto que você está levando.

Sabendo a diferença entre joias, semijoias e bijuterias, vamos agora a outras dicas muito importantes que você deve saber na hora de comprar uma joia.

As joias são feitas de ouro puro?

Você já sabe que o grande diferencial das joias em detrimento das semijoias e bijuterias é justamente sua composição em ouro. Mas, pergunto-lhe: você sabe se as joias são efetivamente feitas de ouro puro?

A resposta é não. Muitos pensam que as peças feitas em ouro – principalmente o ouro 18 k – são feitas apenas com este elemento, mas isso é um grande equívoco.

O motivo é muito simples: o elemento ouro é extremamente maleável. Se você tentar fazer uma peça com esse material ela simplesmente irá “desmanchar”.

As joias que você conhece hoje não seriam passíveis de fabricação. Para resolver o problema são adicionados metais secundários ao ouro, promovendo mais resistência e estabilidade, mas sem que as principais características do ouro se percam.

No caso do ouro 18 k, por exemplo, a proporção é de 75% de ouro e 25% de metal. É uma proporção com alto nível do elemento ouro e poucos metais secundários, sendo considerada a mais nobre.

E há outros tipos de ouro? Na verdade, há, sim! Existem os ouros 16 k , 14 k, 12 k e 10 k, por exemplo. Quanto menos quilates, menor é a quantidade de ouro e maior é a quantidade de metais secundários quando comparado à liga de 18 k.

Sendo assim, é muito importante pedir a certificação do tipo de ouro na hora de comprar uma joia. É uma maneira de garantir que o que você está comprando é efetivamente aquilo que imagina.

E, como você pode imaginar, o ouro 18 k tem o maior valor no mercado quando comparado com as versões inferiores.

Diferença entre ouro branco, ouro amarelo e ouro rose nas joias, semijoias e bijuterias?

Deixando um pouco de lado a comparação entre joias, semijoias e bijuterias e focando nessa questão do ouro, ainda há um ponto interessante a ser discutido: qual a diferença de ouro no que tange à cor?

Muitos pensam que somente ouro amarelo é ouro de verdade, mas não é bem assim.

Entendendo o que é ouro 18 k e como as ligas das joias são feitas, fica mais fácil entender porque existem três cores: branco, amarelo e rose. O motivo é justamente os metais secundários adicionados à liga.

No caso do ouro amarelo, que é o mais tradicional, a liga é uma mistura de ouro e cobre.

Já o ouro branco leva ouro e prata, paládio ou níquel. Esses metais neutralizam o amarelo e a joia fica clarinha.

Agora, o ouro rose é um meio termo entre as duas cores. A composição da liga é ouro, prata e cobre.

Então, não há uma diferença significativa no que tange qualidade, durabilidade ou brilho nessas três opções.

O que de fato conta nesse quesito é o conceito estético. Há aquelas pessoas que gostam mais de ouro amarelo, enquanto outras preferem o branco ou rose.

A escolha também pode depender do tipo de peça e da ocasião, mas é algo totalmente livre.

O ouro branco e rose podem ter um valor um pouco mais elevado, mas é porque a prata, por exemplo, tem maior custo que o cobre (metal secundário principal do ouro amarelo).

Ouro Branco x prata

Agora, e na questão entre ouro ou prata? Na verdade, qual seria melhor: ouro branco ou prata?

Esse é um questionamento muito comum e a resposta depende de cada um. A prata é um metal nobre também e utilizado em joias, mas o seu prateado é um pouco mais encorpado.

Há o problema de que a prata pode escurecer com o tempo, mas é facilmente polida e não costuma dar trabalho nesse sentido.

Um ponto positivo é que a prata é um material bem mais em conta do que o ouro branco. Não deixando de ser um metal nobre, isso pode ser determinante na escolha.

Mas, de modo geral, a escolha também fica a critério de cada um. Normalmente o ouro branco é mais associado às peças mais delicadas.

Diferença entre brilhante e diamante

Parando um pouco de falar do ouro, vamos entender um pouco sobre a pedra mais preciosa quando o assunto são joias, semijoias e bijuterias: o diamante.

Muitas vezes você pode ter escutado diamante e brilhante como sinônimos, não é mesmo? Na verdade, não está totalmente errado, mas há um detalhe importantíssimo.

Nem todo diamante é um brilhante, visto que “diamante” é o cristal, enquanto “brilhante” é a forma de lapidação.

A lapidação do tipo brilhante possui mais facetas do que o convencional, promovendo maior brilho à peça. Então, quando falamos em um anel de brilhantes, queremos dizer que ele possui diamantes lapidados no tipo brilhante.

Por isso que os anéis de brilhante são mais caros. A lapidação é mais demorada, complexa e delicada. Ou seja, é o processo que agrega maior valor ao produto.

Caso tentem lhe vender brilhante como sinônimo de diamante, tenha atenção para avaliar se é efetivamente isso.

Onde comprar joias, semijoias e bijuterias?

E, por último, resta saber onde comprar joias, semijoias e bijuterias. As três opções podem ser adquiridas pela internet ou em lojas físicas.

No caso das bijuterias, por uma questão de frete, muitas vezes compensa comprar em alguma loja regional. Normalmente todas as cidades possuem várias lojas de acessórios.

As joias e semijoias podem ser compradas das duas maneiras. O lado bom das compras online é que você tem maior gama de opções e, além disso, paga um valor um pouco menor.

Em contrapartida, há a questão do valor do frete, da demora na entrega e, claro, não é possível ver a joia ou semijoia ao vivo.

Dito isso, se você pretende comprar algo online, pesquise bem sobre a procedência da loja.

Além de avaliar se ela efetivamente existe e é legal, é importante avaliar s os produtos realmente atingem as expectativas. É a famosa relação de custo x benefício.

Mas, normalmente, os primeiros resultados de pesquisa nos sites de busca têm grande potencial para segurança e qualidade. Enfim, entendeu de uma vez por todas quais são as diferenças entre joia, semijoia e bijuteria? Não se esqueça de avaliar bem o seu produto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.